Point do Jardim Galeteria

sexta-feira, 9 de outubro de 2015

TRIBUNAL ABSOLVE DIRINGA E MANTÉM A CASSAÇÃO DO VEREADOR GEAN

Tribunal absolve Diringa e mantém a cassação do Vereador Gean


PREFEITO DIRINGA 
FONTE///BLOG ARISTON CALDAS      
Resultado de imagem para tribunalApós  Diringa Baquil ser   cassado pela justiça da comarca de Tutóia. Ele recorreu a segunda instância e  hoje o Tribunal reformou a sentença do Juiz Rodrigo Terças, ou seja,  o prefeito foi absolvido por 05 votos a 01.

O relator votou a favor da cassação, mas os outros 05 desembargadores votaram dizendo que não havia provas para  condenar o atual prefeito. 

O que está causando estranheza é que,  as provas que condenaram Diringa Baquil na primeira instância são mais concludentes que as que condenaram o vereador Gean , mas o Tribunal manteve a cassação do vereador Gean e absolveu Diringa, sendo que o vereador foi cassado por uma única prova e o prefeito por várias.

Vamos recapitular algumas fatos:

Antonio Chico, Gean, Binha, Pedro Agripino e Elias eram vereadores da sustentação da base aliada do Diringa Baquil. Estes 05 romperam com o Governo Baquil e juntaram-se aos vereadores Zé Orlando e Christian Noronha,  ambos sempre permaneceram na oposição.

Ao estarem na oposição, estes vereadores lançaram uma chapa que na época concorreu com a chapa de Alexandre Baquil  para a eleição da Mesa Diretora para o biênio de 2015 a 2016, Alexandre concorria a reeleição.  Ele perdeu a presidência para os vereadores de oposição, dando lugar para o presidente eleito Antônio Chico, que após a eleição do dia 22 de maio de 2014, foi traído pelo vereador Gean. Este vereador retornou sua aliança com Diringa.

Depois desses fatos acontecidos na Câmara, veio a sentença de cassação de mandato por compras de votos do então atual prefeito de Tutóia junto com a cassação do vereador Gean. Diante das circunstancias assumiu o cargo de prefeito por um dia, o Vereador  Antonio Chico por ser o presidente da Câmara e o suplente de vereador Romildo foi empossado ao cargo de vereador.

Tanto o prefeito que assumiu quanto o vereador, exerceram apenas um dia de mandato, isso aconteceu por força de uma liminar que retornou  Diringa Baquil ao cargo provisoriamente até que saísse a sentença de mérito, e assim se cumpriu até hoje. Ele  foi absolvido e continua no cargo até 2016 pelo entendimento da justiça de segunda instância, mas  a sentença ainda cabe recurso.

Dito isto, o que deve ser observado é que Dirnga Baquil abandonou o vereador Gean. Este vereador traiu o grupo Baquil para sustentar a eleição de Antônio Chico à presidência da Câmara e mesmo ele retornando a fazer a aliança com o grupo Baquil, não foi o suficiente para remover a espinha que estava cravada na garganta do grupo, e segundo alguns observadores, Diringa  está de alma lavada em relação ao vereador Gean, mas como isso foi possível se Diringa  precisa de maioria na Câmara? Ora, há quem diga que ele trocou a aliança do vereador Geanpor uma  aliança ou aliado  de força maior.

 Portanto, é notório que Diringa Baquil não usou sua articulação para defender o seu aliado, o ex-vereador Gean. Por isso se comenta na cidade que o prefeito simplesmente o abandonou.

Outro que também estava com uma espinha atravessada na garganta era Antonio Chico. Cravada pelo vereador Gean, quando este o traiu retornando ao grupo Baquil, deixando o atual presidente em maus lençóis até hoje, o Presidente da Câmara também deve está satisfeito com a cassação do Gean, pois se ele estivesse permanecido na oposição as circunstancias poderiam ser diferentes, tanto para ele como para Antonio Chico.

Em fim, com a cassação assumirá a vaga deixada por Gean o suplente Romildo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário